Extâse e Srta. Brill (Katherine Mansfield)

terça-feira, 8 de junho de 2010 |


Katherine Mansfield nasceu na Nova Zelândia, mas viveu grande parte da sua vida em Londres. Vinha de uma família burguesa em ascensão. Em Londres viveu uma típica vida dos artistas da época: boemia e bissexualidade. Foi casada durante três semanas, contraiu gonorréia e tuberculose. Sua escrita é muito simples. Escreve muito diretamente, sem rodeios. Como um soco no estômago. Seus contos, em sua maioria, falam dos conflitos internos através de uma linguagem bem psicológica. Pode se considerar Mansfield como a chamada literatura confessionária. Ana Cristina Cesar traduziu alguns contos de Mansfield e a usa como referência em diversos textos. Mansfield foi invejada por Virgina Woolf quando lançou seu livro "The Garden Party". Escritora contemporâneas, que levavam uma vida parecida.

Bertha passou para a sala de estar e acendeu a lareira; e então, uma a uma, atirou nas poltronas e sofás todas as almofadas que Mary havia arrumado tão cuidadosamente. Que diferença - a sala tomou vida imediatamente. No momento em que ia jogar a última almofada, surpreendeu-se retendo-a contra o corpo e abraçando-a com paixão - com paixão. Mas o fogo não se extinguia no seu peito. Ah, pelo contrário!
Segue o link de dois contos de K. Mansfield.
Extâse:
http://www.4shared.com/document/fCS0JsvK/Katherine_Mansfield_-_Extse.html
Srta. Brill:
http://www.4shared.com/document/4eX0SxL2/Katherine_Mansfield_-_Srta_Bri.html

Marcello M.

1 comentários:

Clara Balbi é ab-so-lu-ta-men-te disse...

Ah. Gosto tanto desse conto. Descobri-o em um livro de ensaios acadêmicos sobre tradução, da ana cristina cesar ("Escritos da inglaterra", conhece?), onde, além da tradução do conto, há algumas notas acompanhando a narrativa. Sobre o título escolhido, Timothy Webb, do Departamento de Inglês e Literatura Inglesa da Universidade de York, comentou, em uma carta, com Ana Cristina:
"Não estou, porém, absolutamente certo de que a tradutora tenha escolhido a palavra exata.Bliss tem uma ideia de benção (ver verbetes no O.E.D.) que, na minha opinião, não está presente na palavra ecstasy. É também um termo ligeiramente antiquado, que talvez se possa relacionar com o vocebulário da classe média alta e classe alta (ou será isso uma tolice?)"

engraçado, não é?