As portas da percepção/Céu e inferno (Aldous Huxley)

domingo, 13 de junho de 2010 |


The Doors of Perception (As portas da percepção, em português) é um livro de 1954, escrito por Aldous Huxley, onde o autor pormenoriza as suas experiências alucinatórias quando tomou mescalina. O título provém de uma citação de William Blake:"If the doors of perception were cleansed everything would appear to man as it is, infinite." "Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria para o homem tal como é: infinito." Baseado nesta citação, Huxley assume que o cérebro humano filtra a realidade de modo a não permitir a passagem de todas as impressões e imagens que existem efectivamente. Se isso acontecesse, o processamento de tal quantidade de informação seria simplesmente insuportável. De acordo com esta visão das coisas, as drogas poderiam reduzir esse processo de filtragem, ou "abrir as portas da percepção", como é dito metaforicamente. Com o intuito de verificar esta teoria, Huxley começou a tomar mescalina e a descrever os seus pensamentos e sentimentos sob o efeito da droga. A sua principal impressão será a de que os objectos do nosso quotidiano perdem a sua funcionalidade, passando a existir "por si mesmos". O espaço e as dimensões tornam-se irrelevantes, parecendo que a percepção se alarga de uma forma espantosa e mesmo humilhante já que o ser humano se apercebe da sua incapacidade para fazer face a tantas impressões. k Além de drogas como a mescalina, o LSD, a psilocibina, etc, outras formas citadas para se abrir as portas da percepção seriam:-Períodos prolongados de silêncio e isolamento. -Jejuns prolongados. -Auto-flagelação. Huxley explica que uma das razões porque as portas da percepção normalmente ficam semi-cerradas seria para a própria proteção do indivíduo, que de outra forma se distrairia com a enxurrada de estímulos desnecessários para a sobrevivência.Esse livro foi a fonte de inspiração para o nome da banda The Doors, que por sinal apresenta uma obra com características semelhantes ao do livro, quebra de paradigmas, oposição a normas e costumes vigentes e uso de drogas.
Fonte: http://blogdoziggy.blogspot.com/2007/08/as-portas-da-percepo-aldous-huxley.html

Por conseguinte, o cristianismo e o álcool não se misturam nem podem ser misturados. O cristianismo e a mescalina afiguram-se muito mais compatíveis, o que foi demonstrado por muitas tribos Índias do estado do Texas ao Wisconsin. Entre estas contam-se grupos afiliados à Igreja Nativa Americana, uma seita cujo rito principal consiste numa espécie de Ágape ou Festa do Amor dos cristãos primitivos em que fatias de peiote tornam o lugar do pão e vinho sacramentais. Estes ameríndios consideram o cacto como uma dádiva especial de Deus aos índios e equiparam os seus efeitos à obra do Espírito divino.
http://www.4shared.com/document/UZVjW6LN/Aldous_Huxley_-_As_portas_da_p.html

Marcello M.

0 comentários: