Poesia completa (Hilda Hilst)

segunda-feira, 17 de maio de 2010 |


Muito o que falar dessa autora, mas direi pouco. Grande parte da sua obra poética esta reunida aqui. Grande influência de escritores como Caio Fernando Abreu, Daniel Galera, Ana Cristina Cesar; Hilda Hilst tem uma obra vasta passando por romances, contos, poesia e outros gêneros. Obra sempre permeada pela dor e pelo escárnio, a genial autora nos passa sempre uma dor absurda e uma realidade quase plena.
E por que haverias de querer minha alma Na tua cama? Disse palavras líquidas, deleitosas, ásperas Obscenas, porque era assim que gostávamos. Mas não menti gozo prazer lascívia Nem omiti que a alma está além, buscando Aquele Outro. E te repito: por que haverias De querer minha alma na tua cama? Jubila-te da memória de coitos e de acertos. Ou tenta-me de novo. Obriga-me. (Do Desejo - 1992) Que este amor não me cegue nem me siga. E de mim mesma nunca se aperceba. Que me exclua do estar sendo perseguida E do tormento De só por ele me saber estar sendo. Que o olhar não se perca nas tulipas Pois formas tão perfeitas de beleza Vêm do fulgor das trevas. E o meu Senhor habita o rutilante escuro De um suposto de heras em alto muro. Que este amor só me faça descontente E farta de fadigas. E de fragilidades tantas Eu me faça pequena. E diminuta e tenra Como só soem ser aranhas e formigas. Que este amor só me veja de partida. (Cantares do Sem Nome e de Partidas - 1995)
http://www.4shared.com/document/y2je0g7O/Hilda_Hilst_-_Poesia_Completa.html

Marcello M.

0 comentários: