Admirável mundo novo (Aldous Huxley)

segunda-feira, 24 de maio de 2010 |


O personagem Bernard Marx sente-se insatisfeito com o mundo onde vive, em parte porque é fisicamente diferente dos integrantes da sua casta. Num reduto onde vivem pessoas dentro dos moldes do passado uma espécie de "reserva histórica" - semelhante às atuais reservas indígenas - onde preservam-se os costumes "selvagens" do passado (que corresponde à época em que o livro foi escrito), Bernard encontra uma mulher oriunda da civilização, Linda, e o filho dela, John. Bernard vê uma possibilidade de conquista de respeito social pela apresentação de John como um exemplar dos selvagens à sociedade civilizada.
Para a sociedade civilizada, ter um filho era um ato obsceno e impensável, ter uma crença religiosa era um ato de ignorância e de desrespeito à sociedade. Linda, quando chegada à civilização foi rejeitada pela sociedade.
O livro desenvolve-se a partir do contraponto entre esta hipotética civilização ultra-estruturada (com o fim de obter a felicidade de todos os seus membros, qualquer que seja a sua posição social) e as impressões humanas e sensíveis do "selvagem" John que, visto como algo aberrante, cria um fascínio estranho entre os habitantes do "Admirável Mundo Novo".
Aldous Huxley escreveu, mais tarde, outro livro, chamado Retorno ao Admirável Mundo Novo, sobre o assunto: um ensaio onde demonstrava que muitas das "profecias" do seu romance estavam a ser realizadas graças ao "progresso" científico, no que diz respeito à manipulação da vontade de seres humanos.
Fonte: Wikipédia

Reprimido, o impulso transborda, e a inundação é sentimento; a inundação é paixão; a inundação é loucura, até: tudo depende da força da corrente, da altura e da resistência do dique. O curso de água não contido flui tranqüilamente pelos canais que lhe foram destinados, rumo a uma calma euforia. (O embrião tem fome; dia após dia, a bomba do pseudo-sangue faz, sem parar, suas oitocentas voltas por minuto. O bebê decantado berra; imediatamente uma enfermeira chega com uma mamadeira de secreção externa. O sentimento está à espreita nesse intervalo de tempo entre o desejo e sua satisfação. Reduza-se essa intervalo, derrubem-se todos esses velhos diques inúteis.)
— Felizes jovens! — disse o Administrador. — Nenhum trabalho foi poupado para lhes tornar a vida emocionalmente fácil, para os preservar, tanto quanto possível, até mesmo de ter emoções.
— Ford está no seu calhambeque — murmurou o D. l. C. — Tudo vai bem pelo mundo.*
— Lenina Crowne? — disse Henry Foster, repetindo como um eco a pergunta do Predestinador Adjunto, enquanto cerrava o fecho das calças. — Ah, é uma garota esplêndida. Maravilhosamente pneumática. Admiro-me de você não a ter experimentado ainda.
— Não sei como foi isso — tornou o Predestinador Adjunto. — Hei de experimentá-la, certamente. — Na primeira oportunidade.
De seu lugar, do outro lado do vestiário, Bernard Marx ouviu o que eles diziam e empalideceu.
— E, para falar a verdade — disse Lenina — estou começando a sentir um pouco de tédio por não ter todos os dias outra pessoa que não seja Henry. — Enfiou a meia esquerda. — Você conhece Bernard Marx? — perguntou com um tom de excessiva indiferença que era evidentemente forçado.
Fanny pareceu sobressaltada.
— Você não quer dizer que. . . ?
— Por que não? Bernard é um Alfa-Mais. Além disso, me convidou para ir a uma das Reservas de Selvagens com ele. Sempre tive vontade de ver uma Reserva de Selvagens.
http://www.4shared.com/document/UwnLZVT4/Aldous_Huxley_-_Admirvel_Mundo.html

Segue também o link de "Regresso ao admirável mundo novo"
http://www.4shared.com/document/xYaCCy7c/Aldous_Huxley_-_Regresso_ao_Ad.html

Marcello M.

0 comentários: