O caderno rosa de Lori Lamby (Hilda Hilst)

sábado, 17 de abril de 2010 |


Histórias que vão de encontro a um moralismo pré-estabelecido te chocam? Se a resposta for positiva, não baixe esse livro. A história é simples: uma pequena prostituta de 8 anos escrevendo no seu diário contando tudo detalhadamente e da forma que ela vê. A visão de Hilda Hilst é genial e é incrível a capacidade de adaptação ao eu-lírico, pois não há uma melhor visão de uma criança de 8 anos do que a que foi colocada nesse livro. Sim, é um livro obsceno e nojento e a melhor parte é que é ilustrado com ótimas imagens de Millor Fernandes. Um livro difícil, mas genial.


Então ele começou a passar a mão na minha coxa que é muito fofinha e gorda, e pediu que eu abrisse as minhas perninhas. Eu gosto gosto muito quando passam a mão na minha coxinha. Daí o homem disse para eu ficar bem quietinha, que ele ia dar um beijo na minha coisinha. Ele começou a me lamber como o meu gato se lambe, bem evagarinho, e apertava gostoso o meu bumbum. Eu fiquei bem quietinha porque é uma delícia e eu queria que ele ficasse lambendo o tempo inteiro, mas ele tirou aquela coisona dele, o piupiu, e o piupiu era um piupiu bem grande, do tamanho de uma espiga de milho, mais ou menos. Mami falou que não podia ser assim tão grande, mas ela não viu, e quem sabe o piupiu do papi seja mais pequeno, do tamanho de uma espiga mais pequena, de milho verdinho. Também não sei, porque nunca vi direito o piupiu do papi. O moço pediu pra eu dar um beijinho naquela coisa dele tão dura. Eu comecei a rir um pouquinho só, ele disse que não era para rir nem um só pouquinho, que atrapalhava ele se eu risse, que era pra eu ficar quietinha e lamber o piupiu dele como a gente lambe um sorvete de chocolate ou de creme, de casquinha, quando o sorvete está no comecinho. Então eu lambi.


http://www.4shared.com/document/C9lSM87f/Hilda_Hilst_-_O_caderno_rosa_d.html

Marcello M.

0 comentários: