O amante (Marguerite Duras)

quinta-feira, 15 de abril de 2010 |



"Estou com um vestido de seda natural, bastante surrado, quase transparente. Foi de minha mãe, certo dia ela achou que era claro demais e me deu. É um vestido sem mangas, muito decotado. Tem a cor arroxeada da seda natural muito usada. Uso-o com um cinto de couro, talvez de um dos meus irmãos. Não me lembro dos sapatos que usei naquele ano, apenas de alguns vestios. Quase sempre estou de sandálias de lona, com os pés à vontade. Falo do tempo que antecedeu o colégio de Saigon. Depois que entrei no colégio, naturalmente sempre andei de sapatos. Naquele dia devia estar com aquele famoso par de saltos altos de lamé dourado. Não me lembro de nenhum outro que pudesse estar usando naquele dia, portanto, é com eles que estou calçada. Saltos de liquidação comprados por minha mãe. Uso o lamé dourado para ir ao liceu. Vou ao liceu com sapatos de noite, enfeitados com pequenos desejos de lantejoulas. POr minha vontade. Não posso conceber-me sem aquele par de sapatos e ainda agora me quero com eles, os saltos, os primeiros da minha vida, são lindos, eclipsaram todos os sapatos que tive antes , sapatos para correr e brincar, baixos de lona branca."

Poucos escritores cabem tão bem dentro da (desgastada) expressão "minha vida é um livro aberto" quanto Marguerite Duras. Toda a trajetória dessa francesa nascida na Indochina foi uma espécie de jogo de xadrez entre sua biografia e a ficção que sobre ela aos poucos decantou.

"O Amante" é o xeque-mate dessa partida. Lançado em 1984, quando Duras já era uma respeitável septuagenária das letras francesas, o breve romance escancarou o que havia nela de mais "só dela" até então.
Eram ingredientes de alta combustibilidade. Enquadrava a falência de sua família na Saigon dos anos 30, dava pinceladas sobre a loucura da mãe, o mau-caratismo do irmão mais velho, opiômano, e, em close, narrava o achado do sexo, aos 15 anos e meio, com um rico chinês uma década mais velho. E Duras explodiu.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u50380.shtml

http://www.4shared.com/document/u0C-A1Xs/Marguerite_Duas_-_O_Amante.html

Marcello M.

1 comentários:

Felicidade Clandestina disse...

Obrigada por disponibilizar o livro.