Distraídos Venceremos (Paulo Leminski)

quinta-feira, 15 de abril de 2010 |


"Quem dera eu achasse um jeito
de fazer tudo perfeito,
feito a coisa fosse o projeto
e tudo já nascesse satisfeito.
Quem dera eu visse o outro lado,
o lado de lá, lado meio,
onde o triângulo é quadrado
e o torto parece direito.
Quem dera um angulo reto.
Já começo a ficar cheio
de não saber quando eu falto,
de ser, mim, indireto sujeito."


"Nas unidades de Distraídos Venceremos (1983-1987), resultado do impacto da poesia de Caprichos e Relaxos (1983) sobre a fina e grossa cútis da minha sensibilidade lírica, calmes blocs ici-bas chus d'un désastre obscur, cadeias de Markoff em direção a uma frase absoluta, arrisco crer ter atingido um horizonte longamente almejado: a abolição (não da realidade, evidentemente) da referência, através da rarefação. Seria demais, certamente, supor que eu não precise mais da realidade. Seria de menos, todavia, suspeitar sequer que a realidade, essa velha senhora, possa ser a verdadeira mãe destes dizeres tão calares." Palavras de Leminski sobre a obra.

http://www.4shared.com/document/080Bxyjc/Paulo_Leminski_-_Distrados_Ven.html

Marcello M.

0 comentários: