Dentes guardados (Daniel Galera)

quinta-feira, 15 de abril de 2010 |


"Era preciso convencê-la de que eu a amava. Por causa disso, evitei olhar diretamente para seu lábio inferior saliente e úmido, e pra graciosa porção de peito que ela exibia no decote, aquela zona de macio musculoso da parte superior dos seios. Qualquer rudimento de excitação arruinaria meu objetivo. Porque não sou bobo, leito: li suficientes psicólogos evolucionistas para saber que um homem tem muito mais chances de convencer uma mulher de seu eterno amor e devoção quando não está imaginando uma relação sexual com ela. Elaborar provas de amor é um exercício intelectual.
Camila bebe mais do que eu, e crava os olhos tristonhos no copo. Como toda obra-prima anatômica, ela é uma menina seletiva. Não é culpa dela. A seleção natural ainda não foi capaz de assimilar o significado da pílula anticoncepcional."

Daniel Galera, escritor contemporâneo portoalegrense e editor da Livros do Mal, além desta obra também publicou o romance "Até o dia em que o cão morreu" pela mesma editora. Segue o link do seu livro de contos "Dentes guardados". Com um estilo ardente e sem papas na língua, podemos observar nitidamente a influência de Hilda Hilst a começar pelo título da obra. Composta por 22 contos, a obra pode parecer a primeira vista mais uma coleção de escárnios, mas deixando de lado essa visão essencialista, podemos notar que o autor está gritando claramente o que muitas vezes deixamos preso nas nossas estranhas. Com contos beirando ao grotesco, podemos notar a refinada ironia, humor e crítica do autor ao tratar de questões como sexo (trepadas, fodas, boquetes e outros, levando em conta a escrita do livro), amor, experiências adolescentes, porém contando com um toque de subjetividade de muita perspicácia por parte do autor.

http://www.4shared.com/document/xFG-1WIj/Daniel_Galera_-_Dentes_Guardad.html

Marcello M.

0 comentários: