Bartleby, o ecrivão (Herman Melville)

sábado, 17 de abril de 2010 |


Um livro pra ser lido de cabo a rabo de uma vez só. Considerado por Borges como um dos maiores escritos do século XX, a história se passa em um simples escritório de advocacia em Wall Street, no qual é contratado mais um escrivão para ajudar nos negócios. Nas primeiras semanas ele se mostra muito eficiente, com o tempo decide que não fará mais nada. A história se passa no choque psicológico dos que o circulam e assistem a situação de alguém que vê paredes todo o tempo e recusa a se alimentar ou a fazer qualquer coisa que é mandado. Impactante. "Prefiro não fazer."

Bartleby! Depressa, estou esperando. Ouvi os pés de sua cadeira arrastando-se lentamente no chão sem tapete, e ele apareceu a seguir, ficando de pé à entrada de seu eremitério.
- O que deseja? - perguntou ele, calmamente.
- As cópias, as cópias - disse eu, apressado. - Vamos examiná-las. Aqui - e alcancei-lhe a quarta cópia.
- Prefiro não fazer - disse ele, desaparecendo tranqüilamente atrás do biombo.
Por alguns instantes, vi-me transformado numa estátua de sal, parado diante da fileira de funcionários sentados. Depois de me recuperar, avancei em direção ao biombo e exigi que ele me explicasse a razão para tal extraordinária conduta.
- Por que você se recusa?
- Prefiro não fazer.
Com qualquer outro homem, eu teria ficado imediatamente irado, desdenhado tudo o que viesse a ser dito e enxotado-o de maneira desrespeitosa de perto de mim. Mas havia algo em relação a Bartleby que não apenas me desarmava estranhamente, como, de um modo maravilhoso, tocava-me e desconcertava-me. Comecei a argumentar com ele.
http://www.4shared.com/document/YiOnKuuf/Herman_Melville_-_Bartleby_o_e.html

Marcello M.

0 comentários: